in

Ministério Público pede saída de Eurico Miranda da presidência do Vasco

Twitter/ Reprodução

Eurico Miranda é acusado de acobertar crimes praticados por integrantes de torcidas organizadas do Vasco

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou ontem (13/09) com um pedido de destituição da diretoria do Vasco, incluindo Eurico Miranda e os vices-presidentes. De acordo com denúncia apresentada, o clube teria contratado torcedores da “Força Jovem”, torcida organizada banida dos estádios, e acobertado episódios de violência dentro de São Januário.

A ação pede destituição definitiva de Eurico e membros da diretoria, além de multa de 500 mil reais. Considera fatos graves a inauguração de um camarote para a organizada no estádio do clube, no dia do clássico contra o Flamengo – que terminou com confusão, bombas e a morte de um torcedor baleado -, e fotos do presidente cruz-maltino com membros da organizada.

De acordo com o Ministério Público, o Vasco descumpre artigos do estatuto do torcedor sobre a violência no esporte ao apoiar a “Força Jovem” e compromete a ação da Polícia Militar em dias de jogos. O documento publicado pelo órgão diz que a relação estreita não é novidade no futebol, e que maus torcedores e clubes que desrespeitam a lei seguirão sendo combatidos.

Em julho, o Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) enviou um relatório e identificou pelo menos dois membros da organizada a serviço do clube em dias de jogos em São Januário.

Através da assessoria de imprensa, Eurico Miranda chamou a denúncia de “absurda” e disse que prestará esclarecimentos em juízo. A “Força Jovem” alegou não ter nenhum vínculo com o clube e nem camarote em São Januário.

Já pensou em almoçar em uma cachoeira? Nas Filipinas você pode!

Horário da sua refeição pode influenciar ganho de peso!