in , ,

Solidariedade: terreiro de Candomblé será reconstruído com doação de igreja luterana

A mãe de santo Conceição d'Lissá/ Divulgação

Terreiro sofreu incêndio criminoso em 2014

Depois de oito atentados, o terreiro de candomblé Kwe Cejá Gbé de Nação Djeje Mahin, da mãe de santo Conceição d`Lissá, em Duque de Caxias, será reformado com uma doação de R$ 11 mil da Igreja Luterana.

“O valor financeiro não é o mais importante, mas sim o gesto de união. Não é uma igreja reformando outra igreja. Mas uma igreja contribuindo para reformar um templo religioso que parte do segmento evangélico persegue como se fosse demônio. É a prova do amor ao próximo e do respeito à diferença”, comemora o babalawo Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à intolerância Religiosa (CCIR).

Em 2014, o terreiro tinha sido novamente atacado, dessa vez por um incêndio criminoso,  e a pastora luterana Lusmarina Campos Garcia, então presidente do Conselho de Igrejas Cristãs do Estado do Rio de Janeiro (CONIC-Rio), teve a ideia de reformar o espaço, dando início a uma campanha.

“Eu acho que o pessoal do bem deveria copiar esse exemplo. Nem todos evangélicos destilam ódio e eles estão mostrando isso em suas ações”, afirma Santos.

O babalawo criticou ainda o poder público poderia ser mais atuante.

“Infelizmente, o poder público não faz nada. As casas estão destruídas e as investigações não chegam ao final. Não vira inquérito, os culpados não são denunciados e não vão à justiça. Isso precisa mudar. Temos que combater o ódio, o preconceito e o racismo religioso com respeito, igualdade e amor”, defende.

Ataque em junho de 2014

Em 26 de junho, o terreiro foi incendiado durante a madrugada. O fogo atingiu o segundo andar da casa e destruiu teto, móveis, eletrodomésticos, roupas de santos e de integrantes do terreiro.

Não é a primeira vez que Maria da Conceição Cotta Baptista – Conceição d’Lissá – é vítima de ataques.

“Já atearam fogo no meu carro, que na época estava quebrado e parado dentro do barracão. E dispararam tiros contra a minha casa e no portão do barracão. Deram nove tiros.” disse, evitando apontar suspeitos. “Cabe à polícia descobrir quem cometeu o incêndio e os outros ataques”.

Número de mortos em terremoto na fronteira entre Irã e Iraque já passa de 450 – Número ainda pode aumentar

Como é?!? Preso por dirigir bêbado, motorista transportava porco morto em cadeirinha de bebê